quinta-feira, 28 de maio de 2009

Portugal é o responsável pela globalização

Sim, é o que eu acho. Vamos ver bem a história mundial.
Até aos descobrimentos portugueses o mundo vivia perfeitamente isolado, cada zona do mesmo, cada continente vivia no seu mundo ignorando a existência da enorme variedade de culturas e países existentes.
Assim enquanto todos os países do mundo viviam no medo e na obscuridade e continuavam fechados no seu mundo, Portugal através de conhecimentos dos nórdicos, ou dos árabes, partiu à conquista do desconhecido, descobrindo inúmeros territórios que até aí era ignorada a existência.
Portugal, com o estabelecimento das novas rotas de navegação, que fizeram com que as ligações entre vários países do mundo se estabelece-se.
Estas rotas, cada vez mais melhoradas e aprofundadas ligaram o mundo entre si - Este é o início da globalização - e cada vez mais estas ligações tendem a aumentar ainda mais.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Como ficar sem insónias?

É fácil, vá ao google e procure uma página do livro Memorial do Convento, e começe a ler em voz alta, pouco depois está a dormir.
Estou aqui a fazer paródia do Nobel da Literatura português. De português tem pouco, e de Nobel nada. Um livro que não define o tempo verbal, que não tem parágrafos, não tem pontuação, não tem falas, que aparecem no meio do texto corrido como se fosse tudo uma grande salada russa e o leitor é que tem que perceber que é uma fala e adivinhar quem está a falar.
Se alguém conseguir ler uma página do livro, cumprindo as regras de pontuação e não sufoque, dou-lhe os meus parabéns, pois eu não consigo, pois não existe pontuação.
Chamam a isto português?
Ainda por mais pretendem ensinar português com livros destes?
Eu posso não ser nenhum especialista em português, mas escrevo com as regras básicas do Português de Portugal, e não com as regras inventadas por este autor ou por um estúpido acordo ortográfico.

Bebedeiras e tristezas no estádio da luz

No último domingo desloquei-me ao estádio da luz, casa do Sport Lisboa e Benfica, para ver o jogo Benfica-Marítimo.
Tudo estava a correr bem, um bom ambiente, festa (afinal de contas o glorioso liderava), enfim todos estavam contentes.
Estava eu, calmamente sentado com os meus amigos a ver o jogo e a fazer uns comentários parvos quando disse mais outro comentário parvo (mas inofensivo). Entretanto um adepto do Benfica refilou e eu virei-me para trás na brincadeira a dizer que “É preciso é ter calma, não vamos magoar ninguém” frase inspirada nos gatos fedorento.
Dito isto o indivíduo começou a ficar profundamente irritado, e a confusão começou.
No fim tudo acabou sem males maiores, contudo um bom ambiente nas bancadas pode ser facilmente estragada pelo excesso de álcool no sangue, a estaspessoas nem deveria ser permitido à entrada.
Além disso o indivíduo benfiquista de tanta bebedeira e falta de razão nem sequer percebeu que eu estava do seu lado, ao não perceber as decisões do árbitro
O que se pode fazer? É devido a estes tristes acontecimentos que as pessoas não vão mais vezes aos estádios de futebol.