quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A importância de um Estado Laico

Como já disse em vezes anteriores sou apologista de um Estado liberto de qualquer religião oficial, um Estado Laico. Ou seja um Estado onde as pessoas podem adoptar qualquer culto que seja do seu agrado, sem por isso impedirem outras pessoas de terem os seus próprios cultos. Não deverá existir qualquer disciminação pela escolha de este ou aquele culto.
O próprio Estado deverá fazer leis que garantam esses direitos, e mais, este deverá fazer leis que limitem os poderes e a influência destes cultos ou religiões adquiridas, para não acontecer o que já aconteceu no passado.
Sim pois nós devemos aprender não só com os nossos erros mas também com os erros dos nossos antepassados, por isso estudamos história na escola.
Sim, esse passado do nosso glorioso Portugal, em que a igreja católica, tinha grande poder, grande influência, e para cúmulo detinha o total controlo do ensino. Isto é algo que não pode acontecer sobre circustância alguma, pois assim o próprio ensino será corrompido com ideais das religiões em causa.
Será influenciado e não será verdadeiro e puro como deve ser, e assim não irá ensinar e irá apenas doutrinar.

2 comentários:

Anónimo disse...

Nem sempre as coisas sáo como gostaríamos. E posso acrescentar que é dificil agradar a gregos e troianos.

Anónimo disse...

Convenhamos que seja o estado laico a saída ideal para os conflitos religiosos...qual seria o próximo passo? Deixar de ensinar a necessidade de um culto religioso? Mostrar que a religião não combina com política? Veremos o que ainda falta.